.

 


TRAGÉDIA E MISTÉRIO NA ROTA RIO-PARIS

 


ÍNDICE

.

.

O voo AF447

.

O Acidente

.

Gráficos, mapas e imagens relacionados ao acidente

.

As Vítimas

 

As reações ao acidente

 

.

Histórias de algumas das vítimas da tragédia

.

O avião Airbus A330

Dados do avião

acidentado e do voo

.

As Buscas

.

.

Os bastidores das buscas

.

.

As aeronaves

e embarcações

utilizadas nas buscas

.

O Inquérito

.

O Relatório do BEA

.

Perguntas sem respostas

Fotos da Tragédia

Vídeos sobre o Acidente

.

A operação de

busca final

.

.

Opinião e Análise

.

Outras matérias

importantes.

Fontes de Pesquisa


Reações

.
.
.

Na manhã de segunda-feira, dia 01 de junho, no Aeroporto Roissy-Charles de Gaulle,

em Paris, o painel informa o atraso na chegada do voo 447 da Air France

.

Na manhã da segunda-feira, 1 de junho, na França, no Aeroporto Roissy-Charles de Gaulle, Fernando Schnabl estava esperando por sua esposa, Christine, e seu pequeno filho Philipe em terra.

Viajando separadamente, a fim de usar as suas milhas aéreas, ele beijou sua esposa na despedida no Rio de Janeiro e, em seguida, embarcou em um avião diferente para Paris com Celine, sua filha de três anos de idade.

No desembarque no aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, na manhã seguinte, Fernando estava ansioso para ver sua esposa e filho pequeno novamente.

Mas, assim que seu avião taxiou para estacionar, um passageiro no assento ao lado ligou seu telefone celular e disse que um voo vindo do Rio de Janeiro estava faltando

"Então ele disse que era da Air France e eu fiquei muito assustado. Quando a tripulação chamou meu nome, eu sabia que algo muito ruim havia acontecido. A maneira como eles me trataram, com muita preocupação, mas não querendo me dizer algo, me deixou sem esperança." disse Fernando Schnabl.

Nesse momento a companhia aérea Air France já havia divulgado uma nota  informando que o avião que fazia a rota Rio de Janeiro-Paris havia desaparecido.

 

 

O presidente francês, Nicolas Sarkozy (foto acima), foi ao aeroporto para acompanhar as investigações sobre o desaparecimento do avião.

As autoridades francesas disseram aos parentes desesperados: "Nós esperamos, nós rezamos, nós saberemos mais esta tarde."

Os familiares dos passageiros foram levados a um espaço reservado para receber apoio da companhia aérea.

 

Aqui no Brasil, o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, decretou em 1º de junho, luto estadual por três dias. No mesmo dia, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes decretou luto por três dias, devido a morte de um dos funcionários da prefeitura e pela cidade ser o local de onde o avião partiu.

 

No dia seguinte, 2 de junho, foi confirmada pelo ministro da defesa brasileiro Nelson Jobim (foto acima) a queda do Airbus A330, numa área próxima ao arquipélago de São Pedro e São Paulo, cerca de 270 km a sul/sudeste da última localização conhecida da aeronave.

Na noite de terça feira, 2 de junho, após a confirmação da queda do avião, o presidente brasileiro em exercício, José Alencar, decretou luto nacional por três dias, em memória das vítimas do acidente aéreo.

A Air France organizou uma celebração ecumênica na Catedral de Notre Dame, em Paris, no dia 3 de Junho, em homenagem aos passageiros desaparecidos sobre o Oceano Atlântico.

Um ato ecumênico foi realizado na manhã de 4 de junho na Igreja da Candelária com representantes de oito religiões. Participaram do ato parentes e amigos de passageiros que estavam no voo 447, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, representando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o chanceler francês Bernard Kouchner, além de outras autoridades do Brasil e da França.

Uma missa foi realizada na tarde de 5 de junho em memória dos passageiros na Igreja de Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé, no centro da cidade do Rio de Janeiro. O príncipe dom Antônio de Orleans e Bragança, pai de Pedro Luis, falecido no acidente, estava presente.

.


Histórias de algumas vítimas do voo 447

.

"Viaje nas asas de Deus"

A jornalista Adriana Van Sluijs (foto), 40 anos, tinha medo de avião. Ela embarcou no voo 447 para Paris, mas a capital francesa seria apenas uma escala para uma viagem a trabalho para o interior da Coréia do Sul. Sua mãe, Vazti Esther, 70 anos, não conseguiu ir até o aeroporto para se despedir da filha. Deu adeus à filha pelo celular: "Viaje nas asas de Deus".

.

Luto na comunidade médica brasileira

Um dos passageiros do voo 447 era Roberto Chem, um dos mais renomados cirurgiões plásticos do país. Ele estava no voo com a mulher e a filha (foto). Cerca de um mês antes do acidente, aos 66 anos, Chem tornou-se o quinto professor titular de cirurgia plástica do Brasil.

.

O capixaba que amava o mar

Leonardo Dardengo (foto), 31 anos, estava no voo 447, rumo à França, por causa de seu doutorado em oceonografia. Sua página no Orkut tinha quase mil mensagens de apoio uma semana após o acidente.

.

"Não quero acreditar", diz mãe de passageiro

Mônica de Oliveira fala sobre a perda do filho, o comissário de bordo Lucas Gaglione Juca Domingues de Oliveira (foto), de 23 anos. "Não quero acreditar. Tenho fé que ela ainda possa aparecer", afirma.

.

"Parecia que ele estava se despedindo"

Fernando Bicudo, amigo do Sílvio Barbato (foto), passageiro do voo 447, conta a conversa que teve em seu último encontro com o maestro. Ele disse: "A gente não tem mais nada a provar para ninguém. Há muito tempo estamos no lucro."

.

Perda na luta contra a violência

O casal Pablo Dreyfus e Ana Carolina Rodrigues (foto), que estava no voo 447, deixa um vazio no movimento pelo desarmamento e de proteção aos jovens carentes. Ambos trabalhavam na ONG Viva Rio.

.

Casal havia ganhado passagem dos sogros

A ida de Luciana Seba e Paulo Valle (foto) a Paris foi um presente-surpresa dos pais de Paulo, que também estavam no voo 447. "Ela estava muito feliz com a surpresa. Eu nunca imaginei viver isso com alguém tão próximo de mim", disse Roched Seba, primo de Luciana.

.

"Está tudo certo", disse vítima catarinense

A catarinense Deise Possamai (foto), 34 anos, seguia para a Itália para realizar o sonho antigo de estudar na terra de seus antepassados. Deise queria conquistar a dupla cidadania. No domingo, antes de embarcar para Paris, no Rio de Janeiro, ela ligou para o pai e disse: "Está tudo certo".

.

"Não estou conseguindo aceitar"

Antonella Pareschi (foto), namorada do maestro Sílvio Barbato, passageiro do voo 447, vive a angústia do desaparecimento. Em entrevista a Revista Época, ela disse que não queria acreditar que Barbato havia mesmo embarcado naquele voo.

.

“A vida muda muito rápido”

O norueguês Kristian Berg Andersen (foto) – um dos 228 do voo 447 da Air France – mudou-se para o Brasil em outubro de 2007. No ano passado, ele deu uma entrevista a Revista Época sobre o crescimento de estrangeiros no Brasil. "Só sinto falta de esquiar", disse Andersen.

.

"A esperança se foi"

Dom Antônio de Orleans e Bragança, pai do príncipe Pedro Luiz (foto), que estava no voo 447, diz que a família busca consolo na oração depois que os destroços do avião foram encontrados. "Sou suspeito para falar. Mas quem conviveu com ele também dizia que era um rapaz espetacular", diz Dom Antônio.

.
Fontes: Revista Época - Fotos: AP / AFP / Revista Época / G1

O Memorial às vítimas do acidente

.
.

Cerca de 600 pessoas, entre elas mais de 500 amigos e familiares das vítimas do acidente com o voo 447, da Air France, compareceram à cerimônia realizada no dia 07 de novembro de 2009, no Rio, no Parque Penhasco Dois Irmãos, no Leblon.

 

No local foi construído um monumento em homenagem às vítimas do acidente. A Prefeitura do Rio cedeu um espaço no Parque Penhasco Dois Irmãos, onde foi instalado o monumento criado pelo arquiteto Ricardo Villar.

 

A obra é composta de uma peça de material translúcido. Pelos próximos dez anos, conforme termos do contrato firmado pela Air France, a empresa será responsável pela manutenção deste espaço público, cujo paisagismo foi refeito por paisagista brasileiro Fernando Chacel.

 

A companhia informou que o contrato pode ser renovado. O monumento representa 228 andorinhas. Entre elas, está gravada a expressão "em memória" nos 21 idiomas das nacionalidades dos passageiros e tripulação que estavam a bordo.

 

Fonte: O Globo

.
.

A Associação dos Familiares das Vítimas do Voo 447 (AFVV447)

.
.

O site oficial da Associação é www.afvv447.org, seu e-mail info@afvv447.org e o Twitter da entidade é @afvv447.


Voltar a página anterior

Ir para a página seguinte


. . . .
Liberdade de Imprensa - UNESCO FALE CONOSCO Transparência Brasil
. . . .

Desde 2006 ® Direitos Reservados - Jorge Tadeu da Silva