.

VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL - BACK TO INDEX

.

ACIDENTES AERONÁUTICOS

OCORRIDOS NO BRASIL EM 1975

.

MENU


ACIDENTES
AÉREOS NO
BRASIL

ACIDENTES
AÉREOS NO
MUNDO

ACIDENTES DE

HELICÓPTERO

NO BRASIL


CLIQUE AQUI E LEIA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS SOBRE AVIAÇÃO E ESPAÇO

All Aviation Sites

O ACIDENTE

NO VOO 447

AIR FRANCE


A TRAGÉDIA

EM CONGONHAS

VOO 3054


O DESASTRE

NO VOO 1907

DA GOL


A TRAGÉDIA

COM O FOKKER 

 100 DA TAM


ACIDENTES

HISTÓRICOS

CAIXA-PRETA

VÍDEOS DE
ACIDENTES

AERONAVES

EMPRESAS AÉREAS

AEROPORTOS

INFORMAÇÕES

E SERVIÇOS


HISTÓRIA E

CURIOSIDADES


ARTIGOS

IMAGENS DE

ACIDENTES

NO BRASIL


IMAGENS DE

ACIDENTES

NO MUNDO


LINKS E
 PARCERIAS

Quer ser um

site parceiro?


FALE CONOSCO

FALE CONOSCO




ANUNCIE

NESTE SITE


..

13.09.1975

FAB – Força Aérea Brasileira

Douglas EC-47A

Prefixo: FAB 2065

 

 

Um Douglas 47A operado pela Força Aérea Brasileira partiu no sábado, 13 de setembro de 1975, do Aeroporto Dois de Julho, em Salvador, na Bahia, para um voo de calibração de ajuda à navegação, levando a bordo dois tripulantes.

 

O avião saiu cerca de 40 milhas voando sobre o mar. Ao retornar, tentou capturar a rádio freqüência de Salvador. Enquanto estava sobre o mar, a uma altitude de 1.500 pés, o motor direito ‘engasgou’ e parou de funcionar. Em seguida, já a uma altitude de 800 pés, o motor da esquerda também entrou em pane.

 

O C-47 estava no través da Ilha de Itaparica e a tripulação concluiu que eles não seriam capazes de alcançar o aeroporto mais próximo.

 

O avião realizou pousou no mar e os tripulantes escaparam nadando até a praia.

 


 

02.09.1975

FAB – Força Aérea Brasileira

Dassault Mirage III-EBR (F-103E)

Prefixo: FAB 4920

 

 

Caiu a 70 quilômetros de Anápolis, em Goiás, onde fica a sede da Ala de Defesa Aérea (Alada), numa área destinada a treinamento de tiro, o Mirage III F-103E, prefixo 4920, pilotado pelo Capitão Francisco Antônio Fernandes do vale.

 

O avião entrou em “parafuso chato” a 35 mil pés e o piloto ainda tentou recuperá-lo, mas, a 15 mil pés, após constatar a inviabilidade, optou pela ejeção do assento.

 

O avião perdeu-se integralmente, mas o aviador saiu ileso em seu pouso de paraquedas.

 

Este foi o segundo dos 16 aviões Mirage III adquiridos à França a 12 milhões de Cruzeiros a unidade.

 

O primeiro acidente envolvendo esse lote de Mirages ocorreu em setembro de 1974, quando a turbina do F-103E, prefixo 4921 apagou a 12 mil pés de altura, durante uma missão normal de interceptação. O piloto, Capitão Iso Cavalcanti, tentou reacende-la por três vezes, sem sucesso, e por determinação da torre, usou o assento ejetor.

 

Embora sigiloso, o inquérito sobre a queda do primeiro acidente com o Mirage III, concluiu que o avião não sofria maiores esforços e recebia ar suficiente para colocar o motor em ação.

 

Como os aviões militares não têm seguro, o prejuízo ficou para a Aeronáutica, mesmo que no decorrer das investigações ficasse constatado algum defeito mecânico.

 

 

Jornal do Brasil, 03.09.1975

 


 

30.08.1975

CESC - Centrais Elétricas de Santa Catarina

Aerocomander 500

Prefixo: PT-IQG

 

O avião do Governo Estadual partiu de Florianópolis, às 14h40min, em direção ao município de Joaçaba, levando os pilotos Mário Eberle Schaefer e Hans Adolfo Haeger, e os passageiros Adolfo Zigelli, Secretário de Imprensa de Santa Catarina; Airton Saul Pretto, superintendente nomeado do Fundo de Desenvolvimento do Estado; seu irmão, o chefe de gabinete da Secretaria da Fazenda, Sérgio Antônio Pretto; e o menor Rodrigo Bonato, de nove anos, filho do Secretário da Fazenda do estado, Ivã Bonato.

 

Adolfo Zigelli, 39 anos, jornalista, natural de Joaçaba, foi o primeiro Secretário de Imprensa no Brasil, quando assumiu a comunicação do governo de Antônio Carlos Konder Reis, em 1975. Zigelli se dirigia para sua cidade natal, onde seria homenageado pelo Lions Clube local.

 

Por volta das 16 horas, quando se encontrava na aproximação para a aterrissagem, em meio a forte neblina, a aeronave se chocou contra o morro ‘Linha Germano’, a 10 quilômetros de Joaçaba, matando cinco dos seis ocupantes do aparelho.

 

O único sobrevivente, o menor Rodrigo Bonato, resgatado das ferragens, foi internado em estado grave em um hospital de Curitiba, com fraturas expostas nas duas pernas.

 

Folha de S.Paulo, 31.08.1975

 


 

20.07.1975

Particular

Aeronave (?)

Prefixo: ***

 

Aeronave realizando voo de exibição se acidentou em Belo Horizonte, Minas Gerais, matando seus dois ocupantes e uma pessoa em solo.

 


 

17.06.1975

Varig

Hawker Siddeley Avro HS-748-235 Srs. 2A

Prefixo: PP-VDN

 

 

O voo de número 236 da Varig partiu às 7h05min de São Paulo, com destino a Belém, no estado do Pará, com escalas nas cidades de Porto Nacional e Pedro Afonso, ambas – na época – no estado de Goiás.

 

Após o embarque de mais cinco passageiros, o avião de prefixo PP-VND, decolou do Aeroporto de Pedro Afonso, às margens do Rio Tocantins, para cumprir a etapa final de seu voo, levando a bordo estavam três tripulantes e doze passageiros.

 

Pouco depois de levantar voo, a aeronave apresentou problemas e teve que retornar para realizar uma aterrissagem forçada.

 

O avião aproximou-se com o excesso de velocidade e tocou a pista apenas nos seus últimos 300 metros, a ultrapassando, atravessando a rua e indo ao encontro de uma residência.

 

Os três ocupantes da casa morreram na hora, assim como o copiloto Lemos, que morreu com o choque.

 

O piloto, Fayet, sofreu fratura numa das pernas. O comissário J. Nelson e os 12 passageiros nada sofreram.

 

Esta mesma aeronave já havia se acidentado em 1971, tendo sido recuperada.

 

 

Folha de S.Paulo, 18.06.1975

 

Jornal do Brasil, 18.06.1975

 


 

17.05.1975

Motortec Indústria Aeronáutica

Douglas C-47B-15-DK (DC-3)

Prefixo: PP-CDD

 

O DC-3 prefixo PP-CDD pertencente a Motortec Indústria Aeronáutica era utilizado em pesquisas mineralógicas e era equipado com uma longa antena na ponta da cauda.

 

Parado no Aeroporto de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, a aeronave foi danificada durante forte tempestade.

 


 

11.05.1975

FAB – Força Aérea Brasileira

Helicóptero (?)

Prefixo: ***

 

 

O helicóptero, com sete tripulantes, se acidentou durante voo de patrulhamento na fronteira do Brasil com a Colômbia, nas proximidades do Departamento colombiano de Guainía.

 

Os sete militares ocupantes do aparelho morreram no acidente.

 


 

08.05.1975

Marinha do Reino Unido (Royal Navy Fleet Air Arm)

Westland Wessex HAS1 (S-58T)

Prefixo: XS880

 

 

Helicóptero britânico, que havia decolado da embarcação HMS Ark Royal, caiu no mar, na costa de Salvador, na Bahia, após falha do motor. Sem vítimas fatais.

 


 

16.03.1975

C. Ribeiro

Cessna 500 Citation I

Prefixo: PT-JXS

 

O Cessna prefixo PT-JXS se acidentou durante o pouso no Aeroporto de Belém, no Pará. Todos os três ocupantes morreram na queda.

 


 

04.03.1975

FAB - Força Aérea Brasileira / Correio Aéreo Nacional

Douglas C-47A-DL (DC-3)

Prefixo: FAB 2047

 

 

Ao decolar do município de Peixe, em Goiás, em direção a Carolina, no Maranhão, o DC-3 do 6º Esquadrão de Transporte Aéreo da FAB, voando para o Correio Aéreo Nacional, fabricado em 1943, sofreu uma súbita perda de potência em um de seus motores Pratt & Whitney R-1830-92, projetando-se contra o solo.

 

No acidente morreu o passageiro civil José Foligonio da Rocha e, embora o avião ficasse em estado irrecuperável, os quatro tripulantes e o restante dos passageiros nada sofreram.

 

A tripulação era constituída de um coronel, um major e dois sargentos – o radiotelegrafista e o mecânico.

 

Folha de S.Paulo, 05.03.1975

 

Jornal do Brasil, 05.03.1975

 


 

28.02.1975

VOTEC

Sikorsky S-58ET

Prefixo: PT-HFR

 

 

O helicóptero da empresa VOTEC caiu às 8h30min na localidade de Baixio, a 100 quilômetros de Natal, no Rio Grande do Norte, matando seus 14 ocupantes.

 

Segundo a Petrobras, arrendatária do aparelho, ele fazia o transporte de funcionários da Petromar entre a base da Petrobras em Natal e a plataforma de perfuração Penrod-59.

 

O comandante Newton Freitas e o piloto Rogério Cabral foram os únicos que escaparam com vida, mas levados com ferimentos graves para Natal, não resistiram, vindo a falecer.

 

Onze dos mortos eram funcionários da Petromar. O outro ocupante que morreu na hora era mecânico da Votec.

 

O helicóptero acidentado pertenceu anteriormente a Força Aérea da Alemanha sob registro H-34G-III 80+68.

 

Folha de S.Paulo, 01.03.1975

 

Jornal do Brasil, 01.03.1975

 


 

27.02.1975

VASP - Viação Aérea São Paulo

Embraer 110C Bandeirante

Prefixo: PP-SBE

 

 

O 1º acidente com um avião Bandeirante - Vasp 640, o voo da morte

 

Às 6h15min da terça-feira, 27 de fevereiro de 1975, o Bandeirante prefixo PP-SBR da Vasp, decolou para o voo 640, do Aeroporto de Congonhas, na Capital, em direção ao Aeroporto de Araçatuba, com escala em Bauru, ambas cidades do interior de São Paulo, sob condições meteorológicas bastante favoráveis, levando a bordo dois tripulantes e 13 passageiros.

 

 

Clique AQUI e leia a história completa deste acidente.

 


 

22.02.1975

VASP - Viação Aérea São Paulo

Boeing 737-2A1

Prefixo: PP-SMU

 

 

No sábado, 22 de fevereiro de 1975, às 8h50min, o Boeing 737 da Vasp, prefixo PP-SMU, decolou de São Paulo para realizar o voo 224, com destino a Brasília, com escala programada em Goiânia, levando a bordo sete tripulantes e 69 passageiros.

 

Logo após levantar voo, a aeronave foi sequestrada.

 

 

Clique AQUI para ler a história completa.

 


 

Você tem mais informações sobre estes ou outros acidentes?

Escreva para nós: contato@desastresaereos.net

 


.

Fontes: Folha de S.Paulo, Jornal do Brasil, Correio da Manhã, ASN, Wikipédia e FAB.

 

Edição de texto e imagem: Jorge Tadeu da Silva


Voltar a página anterior

Ir para a página seguinte

. . . .
Este site está em The Best Aviation Sites
. . . .

Desde 2006 ® Direitos Reservados - Jorge Tadeu da Silva